Usando o MongoDB – parte 3

mongodb-3_abertura

Esta é a continuação da segunda parte com a sequência das operações do CRUD dentro do MongoDB Shell e contemplando atualização e remoção de documentos dentro de coleções. E assim como foi feito com inserção e recuperação também incluirei, para comparação, os comandos análogos no SQLite3.
Continuar lendo

Anúncios

Usando o MongoDB – parte 2

mongo-2_abertura

A primeira parte teve uma rápida introdução sobre o que é o MongoDB e sua instalação (na máquina virtual), além de apresentado o MongoDB Shell junto com um exemplo daquilo que se pode fazer nele. Nesta parte a primeira metade do CRUD com a criação e recuperação de documentos.

E para ajudar a comparar, para cada operação no MongoDB uma execução análoga em banco de dados SQL — no caso o SQLite3.

Continuar lendo

Orientação a objetos em JavaScript, o básico

javascript_oop1

Mais um “capítulo” da série dos pequenos guias sobre orientação a objetos em linguagens de programação e, desta vez, com a inclusão do Javascript¹. Ela é uma linguagem interpretada com orientação a objetos nativa e criada pela Netscape em 1995 para prover a execução de código no lado do cliente² dentro do navegador web homônimo da empresa.

Mais recentemente, com o advento do Node.js, passou a executar código no lado do servidor também! 🙂

E o mínimo necessário em JavaScript para se trabalhar com objetos é o seguinte…

(¹) Ou melhor ECMAScript que é o nome da especificação, enquanto que JavaScript é sua a implementação mais conhecida, uma outra é o JScript usada pelo Internet Explorer.

(²) Eu sei que dentro do navegador só pode ser do lado do cliente mas é bom dar ênfase ao fato, ok?

Continuar lendo

A loja certa

appStore_1

Olhando a divulgação de um determinado aplicativo reparei que constavam dois códigos QR para baixá-lo; um código para dispositivos Android e um outro para iOS. Aliás uma abordagem pouco prática pois eventuais versões para Firefox OS, Tizen, Ubuntu, Windows Phone etc significariam novos QR apontando para a respectiva loja de aplicativos.

Daí fiquei pensando se não seria (bem) mais simples utilizar um único código QR apontando para uma página específica que, dotada da inteligência necessária, direcionaria o usuário ao lugar correto. Então escrevi algo implementando a ideia.

Claro que com certeza alguém já pensou neste problema e até fez algo melhor mas eu quis criar minha própria visão da solução. 🙂

Continuar lendo